terça-feira, 16 de maio de 2017

A lição de um desenho.

Você tem um objetivo em sua vida?
Todos nós temos, não é mesmo? E acredito que quem não tenha, termine por viver atoa e consecutivamente coisas ruins aparecem. Como a depressão.

Eu sou campeão em arrumar objetivos em minha vida. Acho até que, modéstia a parte, tenho sangue de Da Vince. Pois não consigo focar minha atenção em apenas uma coisa, quero fazer tudo!
Em minha breve trajetória de vida, em meus 24 anos de existência eu já quis ser de tudo um pouco. Amo desenhar, amo escrever, amo artes marciais, amo estudar (o que me interessa) e amo aprender tudo. Recentemente estou amando a área de esculturas e assim vou seguindo minha vida com minhas varias áreas de conhecimento.

Existem pessoas como eu que querem de tudo um pouco e existem pessoas que simplesmente se engajam em uma determinada área e seguem assim para o resto da vida, satisfeitas.

Porem, independente dessas formas de se viver a vida, todos nós traçamos objetivos. Mas poucos de nós conseguimos concluir objetivos. (imagina só eu que tenho milhões).

Hoje eu decidi fazer um desenho. Um que eu jamais havia conseguido fazer em minha vida. Não é lá um desenho incrível, mas por algum motivo eu não conseguia fazer.

Em minha infância eu sonhava em fazer tal desenho e em diversas tentativas eu me frustrava. Me enchendo de raiva e magoas. É então que percebemos que a partir dessas frustrações, nascem os traumas e as limitações.

Se a pessoa não tiver senso critico o suficiente, além de rapidez para desconstruir tais traumas em si. Ela termina por envelhecer e enraizar limitações emocionais, que a impedem de fazer coisas grandiosas.

Por exemplo, eu cresci acreditando que desenhar não era algo para mim. Muito embora eu amasse desenhar e de fato desenhei até então (de forma medíocre, por conta das limitações impostas).

Lembro que a primeira vez que eu desenhei, foi logo após chegar da casa de um amigo da família que desenhava de fato muito bem. Ainda mais diante dos olhos de uma criança, como eu era. Pois então cheguei, peguei meu material e sentei para copiar um personagem das revistinhas da Eletropaulo.

Foi decepcionante o resultado.

Logicamente eu não conseguiria de primeira, mas quem disse que eu ligava para essa informação? Ansioso como sempre fui, eu queria para já!

Mostrei o desenho para meus pais e eles reagiram da forma menos motivadora possível. Minha mãe disse que não tava bom e que eu deveria me espelhar no amigo da família para ser tão bom quanto ele. De fato esse conselho é bom, mas para um adulto. Uma criança precisa acreditar que ta fazendo algo incrível, para que ela siga em frente. Já que ela não tem o senso critico de absorver o conselho de forma que faça ela mesma melhorar.

Já meu pai não disse muita coisa, mas começou a brigar com minha mãe dizendo que eu não tinha que me espelhar em ninguém. Então começaram a discutir.

Imagina só a minha situação.

Foi então que eu toquei fogo no desenho e fui dormir.

Essa situação se repete na vida de muitas pessoas que são sabotadas primeiramente pela sociedade ainda quando crianças e então se auto sabotam na vida adulta.

Anos mais tarde eu continua a desenhar. Primeiramente para me exibir para meus coleguinhas de escola e já mostrava talento pelo que eu fazia. Mas depois a coisa foi enveredando para um caminho mais tortuoso. Na adolescência eu me deparei com a seguinte frase:

"isso da dinheiro?"

É... desenhar não dava dinheiro na opinião da sociedade. O que dava dinheiro era ser engenheiro, embora eu nem soubesse o que um engenheiro fazia. Mas ainda sim fiz meu curso de Design Gráfico, o que me ajudou muito em minha vida e em minha arte.

Anos se passaram e eu não evolui o necessário que deveria para poder trabalhar com desenhos. Porque eu sempre pensava não ser bom o suficiente ou que aquilo não me traria resultados. Ou seja, desacreditava no meu sonho por conta de pensamentos sabotadores.

Criei uma pagina de tirinhas na internet e sinceramente era uma grande bosta. Mas era a minha alegria, chegar da escola e fazer tirinhas. Todavia, aquele pensamento comercial de que aquilo não me traria resultados sempre me atormentou e então eu desisti. Isso foi em 2012.

Em 2016 eu comecei outro projeto de uma pagina de tirinhas no facebook. Era algo bom para eu desabafar sobre meus pensamentos e a depressão que eu sentia em relação ao fracasso. Segui com a pagina até hoje, mas nunca coloquei ela pra frente, apenas servia de desabafo mesmo, afinal, eu insistia em me sabotar.

O pensamento sabotador é tão forte que ele realmente transforma sua realidade. Minhas tirinhas nunca foram as melhores, mas tinham personalidade. No entanto, eu internamente nunca acreditei que as pessoas fossem gostar delas e veja:

O universo responde!

"seu desejo é uma ordem!"

Mas isso não me desanimou tanto, continuei a desenhar. O tempo passou até esse momento em minha vida, onde estou colhendo frutos de uma mudança magnifica em minha vida.
Comecei a relatar essa mudança nesse grupo no final de 2016 e agora estou colhendo frutos. Coisas grandiosas e magnificas tem acontecido em minha vida. A unica coisa que eu consigo ser nesse momento é grato. Mas não é aquela gratidão forçada, agora é de verdade!

Hoje ao me sentar, depois de ter agradecido a Deus pelo meu dia magnifico e as coisas perfeitas que tem me acontecido, resolvi desenhar.

Minha irmã ao passar pelo quarto olhou para o desenho e ficou fitando-o por alguns minutos. Ela disse que foi o melhor que eu já fiz. (e ela não é de elogiar)

De repente o Jefferson de 6 anos de idade acordou em meu interior e começou a admirar também. Aquela criança que sonhava em fazer um desenho desse, de repente se sentiu realizada. Hoje eu não posso mostra - lo para meus amiguinhos e nem compara - lo com de outros artistas profissionais que realmente fazem desenhos magnificos. Mas eu simplesmente consegui fazer algo que o Jefferson de 6 anos de idade chorava para conseguir.

Foram basicamente 18 anos desde o meu primeiro desenho, até então. Se você for olhar, ele ta cheio de imperfeições e nem chega perto do valor de 18 anos de treino. Embora eu esteja realmente satisfeito com o resultado, as limitações atrasam seu objetivo um bocado. Hoje em dia par chegar em tal nível é apenas questão de 2 anos de treino.

Eu gostaria de ter guardado ele para posterioridade, mas eu coloquei fogo nele na epoca (rsrsrs). E até então eu segui com meu objetivo e eu poderia estar bem melhor se eu não tivesse me sabotado tanto. Bem, agora que eu sei que não ha limites para que eu possa fazer, vou guardar esse desenho e daqui 10 ou 18 anos farei outro ainda melhor, pois hoje minha mente é livre das correntes da limitação.

A trajetória nisso tudo é muito importante. E não só para um desenho, isso serve para tudo em sua vida. O que você realmente quer? E o quanto você tem se permitido avançar em seu objetivo?

A minha mensagem para você é que se você tem um objetivo, a primeira coisa que deve se atentar antes de continuar a trilhar seu rumo em direção a ele é o quanto você anda se limitando.

Para se livrar das limitações também não é algo que aconteça em alguns dias. São necessárias afirmações positivas todos os dias,

" um dia de cada vez" como uma grande amiga sempre me diz. (conheci ela nesse grupo :D)

É interessante estudar mais a fundo a oração do ho'oponopono.
E o desafio dos 21 dias de mudança.

Eu não acreditava que isso surtia efeito, mas veja só. Consegui até perder 30 quilos passivamente apenas com indução positiva e muita água.

A voz tem uma vibração poderosa e o pensamento também. Juntos eles podem modificar a realidade. acredite!

Acredite em si mesmo(a). Você pode, não deixe que seu inconsciente diga o contrário.
Deus planeja coisas grandiosas para sua vida, basta você permitir :)

Me despeço aqui o/ Até novos ventos.

sábado, 25 de março de 2017

A dança



Dançaram ao som dos anos
Não deram atenção aos enganos
Apenas sentiram o calor 
Do grande amor

As dificuldades vieram 
Mas eles se deram
Hoje as memórias são
O que alimenta o coração

Eles não cobraram amor 
Eles não cobraram calor
Eles não cobraram atenção
Eles só sentiram o coração

Ao som do baião
Eles deram a mão
Dançaram até não aguentar 
Deixa a vida levar 

Jeff Borgs 

terça-feira, 21 de março de 2017

Brasileiro



Brasileiro gosta de acusar 
O erro nunca é dele
Adora apontar 

E é o que eu tô fazendo, não?
Mas o poeta aqui sou eu 
Reclame na recepção

Brasileiro não é culpado
Cria até uma população imaginaria
De favelado e safado

A culpa é de quem votou
Mas quem era o vereador?
Ninguém anotou 

Brasileiro gosta de criticar 
Mas sua parte incompleta 
Ele sabe bem justificar

Brasileiro gosta de carnaval 
Mas tem uma geração Netflix
Que se acha diferencial

Essa geração quer saber de quando a série nova vai sair 
Ou o novo meme sensação
Ou quando o salário vai cair

Brasileiro diz que lá fora é melhor
Pois não valoriza o que tem aqui 
Que foi conquistado na base do  suor

Brasileiro fala mal de político
Passa o dia todo compartilhando nas redes sociais
E acha que já fez sua parte sendo milico

Tem até os abestados que apóiam partido da plebe
É o cúmulo da burrice
Mas quem disse que percebe

Nesse momento tem gente discutindo na internet
Sobre quem ta certo ou errado 
Ou quem diabos é Odete 

Odete é a nova participante do BBB
Precisamos saber disso, não?
Não vamos nos arrepender

Brasileiro ama descer a lenha
Não pergunta ou tenta saber
Ainda fala mal da Maria da Penha

Brasileiro não gosta de feminismo
Porque não foi ensinado a questionar
Ou melhor, prefere sempre o fanatismo

Brasileiro adora um mimimi
Mas não por questões essenciais
E sim, quando a porca vai parir

Não tô falando do brasileiro pobre
Esses diabos já estão na lama
Tô falando do brasileiro esnobe

Aquele brasileiro que se acha detentor da justiça
Que condena a morte previamente
Enquanto enche linguiça

Tô falando daquele que acha que é cidadão de bem
Mas não tá nem aí, vive iludido
Orgulhoso por não dever a ninguém

O povo não é o preto ignorante
O favelado, o ladrão, o anão
O povo é você e sua amante

Que fazem a desgraça
Mas se ninguém ver 
Tudo bem, foi de graça

Brasileiro é metido a esperto
Uns até fazem pra sobreviver
Outros ignoram o certo

Não sabemos  o que fazer
E convenhamos
Todo mundo vai se foder

Brasileiro é mal educado
Justamente o que se acha esclarecido
Não o eleitor do PT, seu arrombado

Vamo falar da real? 
PT, PSDB, PQP, WTF, BBQ
Essa é a corja do mal?

Não, não... Esses são só espelho
Reflexo do cidadão "de bem"
Que troca liberdade por coelho

Esse pais me da ânsia
Não por causa dos ladrões
Mas sim, por conta da hipocrisia

O presidente faz tudo na cara dura
E sabe o que fazemos? 
Disputamos quem mais atura 

E você acha que eu tô fora dessa?
Não, não... 
Eu só quero assistir de longe essa festa.

Carne com papelão? 
Zika vírus, enchente
Aperta o coração?

Vai lá assistir cidade alerta
Se hipinotizar por alguns minutos 
Pois a pátria tá incerta 

Brasileiro tem mais é que se foder 
Ser dominado, escravizado
Até aprender

E se você ta putinho com o que eu escrevi
Esperimenta só olhar para dentro de si 
E ver se a gente tem para onde ir

Minha solução é caótica
Mas pra isso precisa de equipe 
Mas não nesse país sem lógica

Aqui é lobo comendo lobo
Ovelha atropelando ovelha
Esperteza a rodo

Afundemos nesse navio 
Todo mundo juntinho pra selfie
Pois já acenderam o pavio.

Término aqui minha indignação
Pois amanhã tem que​ levantar cedo 
E olhar pra cara da nossa nação

A solução ninguém viu
A reclamação todo mundo conhece
E assim segue o Brasil.


segunda-feira, 20 de março de 2017

Eu preciso escrever sobre isso.
O que me consola é que ninguém vai ler.
Já aceitei que tenho dois caminhos na vida:
Ou serei um escritor póstumo ou vou mendigar atenção para os meus projetos.
Desculpa mundo, eu não consigo ser popular.
Houveram épocas em que eu me esforcei muito para isso, mas agora eu estou velho. Idoso aos 25.
(Faço 24 esse ano)
Ninguém liga para o que eu digo e percebi que quando ligam para o que alguém diz é uma mentira muito grande. Não o que a pessoa diz, mas a importância dela própria e o quanto isso é relevante. As pessoas são superficiais demais puta que pariu, e eu não consigo relaxar com isso.
Jamais poderei vender algo, pois a venda é superficial. Jamais poderei me casar, pois diferente do que dizem, o casamento é sim superficial. Esperimenta saber tudo o que a pessoa pensa pra tu ver o que é bom pra tosse. Sem chance.
Acho que vou morrer sozinho. As vezes me prendo à esperança de que alguém vai entrar pela minha porta e "ser do caralho" em minha vida... Mas… quem sou eu? Senão um grão de poeira tentando ser importante para outro grão?
Essa porra de blog é perfeito pra mim. Porque aqui a solidão acontece da forma mais pura possível. E acho que é isso!

Esse texto era para falar sobre um grande amor e terminei aceitando que jamais terei um.
Sabe qual a merda de ser correto na vida? É deitar a cabeça a noite e não estar nem um pouco satisfeito com isso. Antes eu tivesse feito alguma merda, alguma maldade.
Acho que eu nasci pra ser ruim mas me treinei para não ser, por isso sofro todo santo dia.
Ontem mesmo fui acordado por uma mosca que se perdeu e batia violentamente contra minha lâmpada. O que eu fiz? Guiei ela para fora de casa. Detalhe: a mosca tinha aversão a luz. Onde já se viu? Pois é, tiver que capturar ela num pote e soltar lá fora. Prazer, sou eu, o imbecil que não mata nem mosca e vai se foder nessa vida.

Humpf... Eu só queria alguém… alguém pra me fazer companhia e iluminar meu por do sol. Alguém que eu acordasse de manhã motivado por causa dela e fosse dormir dá mesma forma. Só queria ela… mas o universo fez o favor de me fazer feio, maluco, pobre e com tendências a engordar 30 quilos se sair dá dieta. Humpf… eu só queria ela…

Talvez eu esteja me comportando como uma criancinha… OK cara, não vou ter ela. Isso é coisa dá minha cabeça, isso é luxo do ego. OK! Mas será q poderia retirar a vontade de te-la do meu peito? Só isso, eu juro não reclamar mais. Eu juro viver sozinho afundado em minhas questões existenciais. Será que eu poderia, amanhã, acordar e não precisar dela? Por favor… só isso. Isso resolveria meus problemas amorosos e emocionais e enfim eu seguiria a vida.

Café dá tarde


A sensação do café da tarde
O céu alaranjado sem alarde
A paz na casinha
Ambiente de cozinha 

Ah... que lembrança gostosa
Olhar da janela e ver minha rosa 
Pensar na gratidão 
Sentir a quentura do café no coração

Não troco nada por isso
Chego colocando o pó sem aviso
O cheiro sobe e fico tonto
Alquimia que eu mesmo monto

Café dá tarde 
Sem alarde 
Enche o Céu de laranja 
De bolo e conversa a pança

Sinto


Sinto coisas boas em mim
Sinto que posso ser assim 
Sinto um novo começo enfim
Sinto que posso dizer sim 

Sinto novos horizontes
Sinto impulsos aos montes
Sinto essas constantes
Sinto vibrações elegantes

Sinto porque me abri 
Sinto que descobri
Sinto que vou bem ali 
Sinto que deferi 

Sinto tudo de bom 
Sinto um nobre som 
Sinto o gosto do bombom 
Sinto que o dom

domingo, 19 de março de 2017

Domingo


A gota serpenteia o vidro
O carro passa despercebido
Aguço o meu sentido 
Vejo o que está perdido

As pessoas serpenteiam as ruas 
De consciências nuas 
Almas pesadas e cruas
De uma ou duas 

A foto serpenteia a lembrança
Do momento de criança 
Sorrisos na França 
Falsos de esperança

A serpente serpenteia a ganância
Repleta de redundância
Tudo o que me da ânsia
Fica em outra instância


quarta-feira, 15 de março de 2017

O urso e a borboleta



Em uma floresta, ao sul, morava um urso. Normalmente ele ficava em sua caverna perturbado por milhares de pensamentos. De vez em quando saia para pegar um pouco de mel, mas a vida era demasiada complicada para ele. Aprendeu a evitar os outros animais, porque eles aparentemente eram seres que causavam muita confusão em sua vida. Sempre estavam brigando, ou se matando, e para o urso isso era uma atraso de vida absurdo.

Houveram épocas em que o urso teve poderes mágicos, ele passava seu tempo tentando ajudar cada um que passava por sua vida, mas depois de muita decepção, ele se fechou. Agora não tentava mais resolver os problemas dos outros, mas passava o dia se martirizando, afim de tentar resolver os seus próprios. Sem êxito.

Mas agora ele perdeu os poderes. Era só um urso cansado e cheio de dúvidas. Que dedicava o seu tempo para achar respostas e fórmulas para a vida.

Ele achava que se criasse fórmulas para a vida, ele poderia passar por ela dá melhor forma e foi isso que fez. Entrou em um grupo de animais que buscavam o mesmo objetivo e tentou ensinar tudo o que sabia sobre as leis da vida.

No começo ele pensou que aquilo daria certo, mas quanto mais exibia seu discurso, mais percebia que os outros animais não entendiam o que ele dizia. E os  poucos que davam atenção, apenas aplaudiam sem ter a intenção de por em prática seus ensinamentos.

O urso ia dormir frustrado, não entendia o que estava errado e ainda tinha que lidar com suas confusões mentais.

A vida não era fácil e por isso ele pediu a floresta para que surgisse alguém em sua vida para que ele pudesse dividir seus pensamentos. E com a brisa mais suave uma borboleta pousou na frente de sua caverna.

Ele foi pego de surpresa, não sabia que alguém tão interessante teria tido paciência para dar atenção aos seus ensinamentos. O urso não viu maldade naquela borboleta, pelo contrário, viu uma luz em sua vida. Uma luz que ele tanto pediu em dias de tormenta preso naquela caverna, perturbado pelas seus pensamentos.

A borboleta questionou sobre seus ensinamentos e o porquê que os outros bichos não conseguiam compreender os mesmos.  O urso ficou empolgadissimo com aquela borboleta que se mostrava tão perspicaz.

De imediato falaram sobre seus problemas e se ajudaram na mesma intensidade.

Aos poucos eles foram conversando mais e mais. Curiosamente eles falavam sobre tudo e sobre suas vidas sem se importarem com o julgamento do outro. Logo, em questão de semanas, já eram ótimos amigos.

O tempo passava e para o urso já não era tão chato enfrentar os problemas da floresta, já que tinha uma amiga incrível para compartilhar suas visões.

Os problemas vieram, mas a união dos dois era proporcional. Dali surgia força para enfrentar as adversidades. O urso sentia muita segurança ao lado daquela borboleta que não aparentava ser nem um tanto frágil.

Ela pediu que um dia, ele pudesse sair da caverna infestada de pensamentos e fosse com ela em uma cachoeira bonita. Lá eles se divertiram e conversaram. O urso ficou tão feliz com a atitude dela, pois ninguém jamais tinha feito isso com e por ele. A amizade só fortaleceu.

Houve uma vez em que ele machucou "a patinha" e ela ficou ao lado dele. A dor, mesmo que agonizante, não pareceu tão ruim. Pois ele sabia que tinha ela ao lado dele. Ele teve vergonha de contar o seu problema até para os mais próximos. Imagine só, um urso da "pata" manchucada.

Ele soube dá história dela, soube o que ela fez por amor, soube do carga que ela suportava em suas costas para manter aquelas "asas" firmes, unidas e bonitas. Soube o que ela fazia pela própria família. Ele a admirou.

Ouvir os problemas dela não era algo pesado, era como uma divisão. E isso o deixava feliz.

De repente lá estavam eles ouvindo as músicas dá floresta e rindo das bobagens que ele aleatoriamente contava. Eles foram felizes.

Porém, um dia, se desentenderam. O urso, que tinha um lado muito carente graças aos anos presos na caverna, se engraçou com uma pomba que de vez em quando voava por perto. A borboleta, embora soubesse no que ia dar aquilo, deixou que o urso seguisse sua própria vontade, já que para ela, era muito importante que as coisas acontecem espontaneamente.

O resultado foi iminente, o urso se decepcionou com a pomba e passou dias tristes. A borboleta não soube lidar com isso e invés de conversar abertamente com seu amigo urso, guardou aquilo para si. O que era um tanto quanto incoerente, já que ela sempre pediu que ele contasse tudo.

O tempo passou e vendo o urso triste, terminou abrindo seu coração e o urso ficou ainda mais triste por ela ter escondido tais sentimentos.

O urso terminou por se decepcionar com a borboleta e se trancou em sua caverna.

Os dias se passaram e ambos pensavam um no outro e na falta que faziam. Até que a borboleta pousou novamente na frente dá caverna dele. Ela abriu mão de seu orgulho para confessar que sentia saudade.

Pelo urso ele teria sido orgulho (ou não) o suficiente para deixa lá ir embora e voar para longe. Embora pensasse muito em falar com ela.

Ele entendeu sua amiga e ambos aparentemente se perdoaram.

Mas aí a besteira aconteceu.

O urso parou para pensar. Sua amiga era incrível, um espírito admirável. Cuidava dele, se importava com ele, fazia companhia com ele. Ele percebeu que queria estar com ela a vida inteira.

Mas seria isso só carência?

Então fez uma proposta para ela. Foi ai que os problemas entre os dois se agravaram. Pois ela também tinha seus problemas.

A borboleta esperava que o sentimento do urso fosse 100% verdadeiro. Dá parte dele era total verdade que ele amava ela, mas quando se trata de alguém complicado, obviamente ele teria suas dúvidas. Aquela proposta de viverem juntos para sempre, não pareceu segura para ambas as partes.

A borboleta levantou questões que para o urso eram complicadas demais de se lidar. Era estranho para eles serem românticos um com o outro. Ela desconfiou dele. Não era culpa dela, ela havia se relacionado com outro  urso há pouco tempo e se decepcionado também. Justamente por conta dá desconfiança e cobrança dá parte dela, embora ele não tenha se esforçado tanto para te-la por perto. Ela queria uma entrega de 100%.

Ela terminou por cobrar isso do urso e isso fez ele ficar pensativo sobre o que estava fazendo. Ele queria muito uma vida ao lado de sua borboleta. Queria mesmo tentar, mas as questões levantadas fez parecer que ele estava apenas sendo mais carente.

Mal sabia ela que o sentimento dele era puro.

Infelizmente aquela situação aparentemente bagunçou amizade dos dois. Ou eles deixaram isso acontecer.

A borboleta conheceu diretamente a alma do urso, pois ele seguiu o que ela pediu e expôs tudo o que ele sentia. A alma dele era conturbada e cheia de dúvidas. Ele se perguntava se ela suportaria isso por quanto tempo.

O tempo passou.

Hoje pelo visto o dia amanheceu nublado.

O urso se importa bastante com a borboleta, mas ele tem umas atitudes estranhas. Ele tem medo de que ela vá embora da vida dele e que não entenda ele. E infelizmente ela ao ouvir isso, termina cobrando isso dele.

Essa história não tem fim, pois ainda nem começou

Ambos já sofreram muito nessa vida e ainda tem que lidar todos os dias com seres que parecem não entender a simplicidade da vida e que sempre arranjam problemas.

Ambos sabem o quão importante é o significado de viver em paz, de crescer espiritualmente e seguir a vida. Mas estão presos pelos seus próprios medos.
O urso em sua caverna infestada de pensamentos e a borboleta com suas asas cheia de peso pelos outros.

Talvez eles possam conviver juntos por muito tempo, mas não podem aplicar no outro seus vícios adquiridos através da auto defesa. Logo eles, que são almas diferentes e que se acharam nessa floresta imensa.

Eles não sabem como vai ser daqui pra frente. Dá parte do urso, embora muito complicado, só quer viver em paz com a borboleta.

Essa história um dia terá um fim, ou será para sempre. Sem cobranças. Eles podem construir isso juntos.

Um dia ele vai sair dá caverna e viver melhor a vida e ela vai poder voar sem ter tanto peso nas costas. Só precisam para de pensar tanto.

Amanhã o dia será ensolarado na floresta. E ele espera ver ela na frente de sua caverna, por mais difícil que seja. Pois ele gosta muito dela, por mais improvável que pareça ser para ela.

O urso espera que ela esteja bem. E que diga, caso não esteja. Porque ele se preocupa também. Se ela esconde isso dele e pede para ele não se importar, ele fica triste. Sendo que o que ele mais quer é ser feliz com ela.

Me desculpa, minha borboleta.
Meu orgulho não e nada perto da nossa amizade.
As vezes preciso de um tempinho para colocar a cabeça no lugar. Mas esse tempinho parece uma eternidade se eu estiver mal com você.
Vamos nos acertar, talvez para sempre tenhamos que nos acertar, mas eu quero muito fazer isso ao seu lado. Desculpa se eu confundi as coisas, se eu sou casca grossa, complicado, cheio de poréns. Você  é muito importante para mim. Mesmo que você não queira mais aturar meu fedor de urso rabugento, quero agradecer pelo que você fez por mim. Por ter se preocupado e cuidado. Você é minha luz e há verdade no que eu digo, mesmo que desconfie. Me ajude a sair da caverna e eu te ajudo a  encontrar formas de voar livre do peso. Não importa se não ficarmos juntos, você sempre estará comigo.

segunda-feira, 13 de março de 2017

A prisão no proprio ser.

Faz tempo que eu não escrevo nada aqui.
Substitui esse blog por folhas de papel.
As vezes sentar na frete de um computador é algo realmente pouco produtivo e eu fico menos concentrado.

Recentemente adquiri uma doença, ou varias. Não aquelas do corpo (embora estejam dentro do corpo). Eu não consigo mais fazer o que mais gosto, mas pensando bem, o que eu mais gosto não é bem o que realmente gosto.

Deixa eu explicar.

Antigamente eu gostava de desenhar e escrever. Mas nunca fiz isso para me sentir bem com o meu próprio trabalho, fazia apenas para para receber atenção...

Puta que pariu! Desde pequeno eu sou assim e não, não vou me aceitar desse jeito. Sou a porra dum exibido de merda...

Ultimamente tenho parado com isso e ai vem a merda, é como se metade de mim não funcionasse mais. Eu queria muito ter meus talentos novamente... mas parece que só funcionam para impressionar os outros...

Graças a isso eu encontrei uma das minhas chaves magicas e ela se chama:

"Amor próprio"

Quero me recuperar.
Quero poder acordar e estar satisfeito.
Quero ter motivação sem precisar ficar me mostrando.
Quero estar satisfeito comigo mesmo.

Outro problema recente é a carência. Ela tem muito a ver com tudo isso. Não sei porque diabo eu preciso de outras pessoas no sentido emocional. 

Obviamente eu preciso em outros sentidos, isso não nego e nem rejeito. Mas porque eu preciso de outras pessoas para me emocionar? É como se fosse uma droga que quando eu entro em abstinência, termino por sofrer horrores. 

Esse blog, ja esta aqui ha uns 30 anos e eu não divulgo para ninguem. O que é uma vitoria, mas é como se isso não servisse para nada... 

Essa minha luta é solitaria.

Ja percebi que não posso expor minha alma para outras pessoas. Quem tem contato com ela, geralmente sai machucado. Estou só... 












domingo, 12 de fevereiro de 2017

Eu quero que se foda, sinceramente.



Quero que essa maldita cobrança vá pro raio que parta ela.
Se não bastasse a merda da sociedade me torrando o saco todos os dias para eu me adequar, eu ainda tenho que ficar me chicoteando por não conseguir?
Quero que vá toma no cu. Não vou passar mais nenhum dia sofrendo pelos cantos, porque eu não consigo ser como todo mundo. A pior merda que eu fiz na vida foi deixar de ser eu para tentar ser alguem que os outros queriam, vai toma no cu!
Eu sou o jeff escritor, sou o jeff desenhista, não, eu não sou bom o suficiente para ganhar milhões, para agradar milhões, para fazer milhões, mas quer saber? vai toma no cu!
Eu vou morrer fazendo o que eu gosto, sendo quem eu sou, o minimo eu farei e que se dane!
Eu sei quem eu sou e não vou passar nenhum dia me cortando pra fingir ser outra coisa, para agradar outra coisa.